quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Mais cor nessa parada



Um simples ato de voluntariado traz a transformação para um mundo melhor e uma sociedade mais justa e fraterna, levando a dignidade a si mesmo e ao próximo. Todos os dias, passamos pelas ruas da nossa Região Administrativa de Vicente Pires, observamos tudo e, como cidadãos críticos, apenas reclamamos da má administração pública ou pouco fazemos por nossa cidade. Pensando nisso, o Colégio Vitória Régia colocou em ação um lindo e inovador projeto que está embelezando as paradas de ônibus, com arte em grafite e frases de impacto. 


O “Mais cor nessa Parada” é uma campanha de conscientização sustentável, que tem a participação dos alunos do Ensino Fundamental II e Médio do colégio. “Acreditamos que o projeto trará benefícios não só para o patrimônio da região, mas também para os alunos e o restante da comunidade”, diz a criadora e coordenadora do projeto, Priscila Madureira. Além do aspecto estético, ao utilizar o grafite, o projeto contribui para conscientizar jovens contra a pichação e diminuir o preconceito em relação ao grafismo. É preciso que os jovens abandonem a pichação e utilizem a arte do grafite para embelezar a cidade. 

O projeto nasceu após uma mãe de aluno relatar que uma das paradas de ônibus estava mal cuidada, com mato muito alto, sujeira e estragos, o que trazia, além de uma má impressão para a cidade, a insegurança para seu filho, demais alunos e comunidade em geral, que dependem do transporte público. Assim, o Colégio Vitória Régia iniciou a revitalização das paradas, com a participação voluntária e entusiasmada de seus alunos, o que transformou os referidos logradouros, antes abandonados, em locais agradáveis e contemplativos. 

A administração de Vicente Pires, quando tomou conhecimento do projeto, começou a fazer a limpeza, reparo e pintura da base das paradas, deixando-o pronto para os alunos voluntários aplicarem sua arte. Hoje, outras escolas da região também aderiram a este projeto e ajudam a manter e alegrar os locais. Transmitir afetividade e acolhimento para a comunidade, por meio da arte pintada nas paradas de ônibus da região, é um dos objetivos do projeto, que já deu cor a treze (13) paradas de ônibus de Vicente Pires. 

Por meio desse projeto, os alunos aprendem a desenvolver e expressar a criatividade, respeitar o próximo, trabalhar em equipe, favorecendo o resgate da autoestima e o reconhecimento de potenciais e habilidades, utilizando a arte como ferramenta de reflexão e combate à depredação dos espaços públicos. Devido ao seu amplo alcance, o projeto foi inscrito no 15º Prêmio Escola Voluntária - uma iniciativa da Rádio e Televisão Bandeirantes - implementada por meio da emissora Rádio Bandeirantes de São Paulo, com o apoio da Fundação Itaú Social, que tem por objetivo divulgar e premiar instituições de ensino públicas ou privadas, que incentivem o trabalho voluntário entre os seus alunos. 

Dentre mais de 500 projetos recebidos, o “Mais cor nessa Parada” passou pela triagem, que selecionou 50 projetos que foram avaliados rigorosamente e, agora, classificado entre os 10 melhores projetos. O Colégio Vitória Régia recebeu nos dias 15 e 16/08 a visita da equipe composta por Luciana Lobo (Coordenadora), Alexandre Dias (Produtor), Fernanda Albino (Jornalista) e Fernando Fernandes (Cinegrafista) que ministraram um curso de capacitação em rádio para 25 pessoas, entre alunos e professores do Vitória Régia, com a realização de entrevistas para rádio e captação de imagens “ao vivo” do projeto. 

Vicente Pires é a única região do Distrito Federal representada neste prêmio, que dará ao 1° lugar classificado a quantia de R$20.000,00 (vinte mil reais), ao 2° lugar R$15.000,00 (quinze mil reais) e ao 3° lugar R$10.000,00 (dez mil reais), a serem aplicados no projeto. 

Vamos torcer e participar pela nossa cidade: entrem na Fanpage do Prêmio Escola Voluntária, no Facebook, curtam e compartilhem o projeto “Mais cor nessa Parada”, para que aumentem as chances de premiação. Se ganharmos, o projeto terá um belo incentivo para o colorido se expandir para as escolas, para o posto de saúde, para a nossa Administração Regional e para toda a região, o que estreitará ainda mais nossos laços cidadãos com o lugar onde moramos e amamos viver.


























terça-feira, 23 de agosto de 2016

O MASSACRE CONTINUA: JUSTIÇA MANDA PARAR DERRUBADAS NO ESTÂNCIA. MAS A AGEFIS ESCOLHE COMO PRÓXIMO ALVO O “PRIVÊ ETAPA C”

1acarretaprotesto34A pressão feita por moradores de condomínios e de áreas de interesse sociais  vai continuar até que o governo cessem as derrubadas e inicie um programa de regularização das moradias consolidadas. A carreata de protesto feita pelos moradores nesta segunda-feira (22), parou Brasília por onde passou. Agora, o alvo dos manifestantes são os 24 deputados da Câmara Legislativa. Hoje, a partir das 14 horas, centenas de moradores vão exigir dos deputados  mais empenho na causa que afeta mais de 600 mil pessoas.
                                                                                        
LETRA AA decisão do desembargador Flávio Renato Jaquet Rostirola mandando suspender as derrubadas de casas no condomínio Estância Quintas da Alvorada aumentou ainda mais a ira de Rodrigo Rollemberg no final da tarde de ontem.
O governador do Distrito federal Rodrigo Rollemberg, ordenou que a procuradora-geral do GDF, Paola Aires, recorresse da decisão e autorizou Bruna da Agefis a ir para cima do condomínio Etapa C e Mini Chácaras no Altiplano Leste. A ordem de derrubadas, segundo fontes da Agefis será planejada por toda esta semana. Comunidades de São Sebastião e da 26 de Setembro também foram incluídas na agenda de derrubadas.
O governador Rodrigo Rollemberg se tornou irredutível a qualquer apelo, seja da classe política ou da própria população que nesta segunda-feira realizou uma carreata de protesto para exigir a regularização dos condomínios do DF. “O governo não dialoga com grileiros e invasores”, disse o governador ao se referir aos moradores do Jardim Botânico, cidade que concentra a maioria dos condomínios irregulares do DF e onde prometeu fazer isso durante a campanha de 2014.
A falta de diálogo tornou-se uma situação insustentável para os milhares de moradores de condomínios e das áreas de interesses sociais que vão continuar ameaçados de perderem suas casas pelos tratores da Agefis.
No caso do Condomínio Estância Quinta da Alvorada, onde foram derrubadas doze casas nas últimas duas semanas, o governo de Brasília  recorre hoje mesmo no Superior Tribunal de Justiça  para voltar à carga e desta vez fazendo  a limpeza geral do condomínio, conforme recomenda o Ministério Público o qual Rollemberg tem medo de contrariar.
Nesta segunda-feira (22), representantes de associações de moradores do Jardim Botânico de São Sebastião, Vicente Pires, Lago Norte e Altiplano Leste foram recebidos no Palácio do Buriti pelo subsecretário de Movimentos Sociais e Participação Popular da Casa Civil, Acilino Ribeiro, que não decidiu nada.
No encontro, o grupo entregou um documento ao governo pedindo a paralisação das ações de desobstrução da área ocupada irregularmente. Acilino disse que não pode fazer nada e voltou a alegar a recomendação do ministério Publico.
“A população perde tempo com um governo que prefere massacrar do que dialogar com quem vive em pânico por causa das derrubadas de suas casas”, criticou Claudemir Pita, presidente da Associação dos Condomínios do Jardim Botânico.
MORADORES VÃO EXIGIR DOS DEPUTADOS
Depois de parar o trânsito de Brasília com uma gigantesca carreata para protestar contra o governador Rodrigo Rollemberg, líderes comunitários convocaram os moradores de condomínios e de áreas de interesses sociais de todo o DF para ocupar nesta tarde de terça-feira, a partir das 14 horas, a Câmara Legislativa do Distrito Federal.
“Os deputados tem obrigação de ouvir os nossos apelos e mostrar ao povo de que lado estão”, disse Rogério Filho, presidente da Associação de Moradores do Morro da Cruz, comunidade pobre de São Sebastião. Durante um ano e meio do governo Rollemberg a Agefis já derrubou mais de cem casas no Morro da Cruz e Capão Comprido.
A população moradora de condomínios critica a Câmara Legislativa que quase nunca se manifesta em relação às derrubadas de casas deixando para trás centenas de famílias desamparada. São pouco os deputados que tem se manifestado contra a truculência da Agefis em suas operações, apesar dos apelos feitos pelos moradores que tem se humilhado na porta do legislativo em busca do apoio.
As duas únicas audiências públicas ocorrida na CLDF não tiveram resultados práticos. Na primeira, a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, e o Secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiaho Andrade debocharam da cara dos deputados e não atenderam ao convite.
Na segunda audiência pública, diante de um plenário lotado por moradores, Bruna Pinheiro disse que os distritais, antes de pedirem o fim das demolições de casas que mudassem a lei. “Isso é um dever dos senhores”, disse ela ao deputado Ricardo Vale que dirigia a mesa.
Casados do tratamento dado tanto pelo governo como pelo “faz de conta” do legislativo, centenas de moradores vão ocupar a Câmara Legislativa nesta terça feira para exigir posições claras sobre a situação antes que ocorra uma tragédia .
“Se cada um desses deputados usassem pelo menos 25% do seu mandato para defender o povo do DF não teríamos diante de tanto sofrimento. Mas ao que parece, um deputado depois de ser eleito, usa o mandato para causa própria. Isso é uma sacanagem”, reclamou a socióloga Maria Beatriz de Sousa, moradora do Mini Chácaras , condomínio que está na agenda de derrubadas programadas pela Agefis.
Fonte: Radar Condominios

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

“OU PARAM COM AS DERRUBADAS OU PARAMOS BRASILÍA”: ESSE FOI O RECADO DADO A ROLLEMBERG POR MORADORES DE CONDOMÍNIOS

Lideranças de várias regiões do Distrito Federal decidiram por unanimidade realizar na próxima segunda-feira (22). a partir das oito horas, uma mega carreata de protesto contra as derrubadas de casas em condomínios da região do Jardim Botânico. A decisão foi tomada durante uma reunião ocorrida nesta quinta-feira na Câmara Legislativa. As carreatas que virão de várias regiões do DF tem o objetivo de dar um nó no caótico trânsito de Brasília. Ontem, o pequeno grupo de moradores parou o trânsito em frente ao Buriti.
                                                                                     
LETRA Essa foi à única forma encontrada por centenas de moradores de condomínios e de áreas de interesses sociais ameaçados pelo Poder Público de terem suas casas devastadas pelos tratores da Agefis. As operações de derrubadas neste primeiro momento estão concentradas dentro do condomínio Estância Quinta da Alvorada, mas se estenderá pelo condomínio Mini Chácaras do Lago Sul e do Privê Etapa C.
Cerca de quinhentos imóveis serão demolidos- conforme a planilha de operações montadas pela Agefis em três condomínios da região. Mas as “operações terror” do governo Rollemberg não param por aí. Casas humildes das pequenas comunidades como Capão Comprido, Vila Zumbi, Vila do Boa e Morro da Cruz- todas em São Sebastião - são alvo de derrubadas.
No Sol Nascente a população está apavorada. O número de casas a serem varridas pelas lâminas dos tratores da Agefis chega a quinhentas. O INCRA 7, próximo a Brazlândia, bem como condomínios de Vicente Pires constam também do mapa das demolições.
1AAMANIFESTACAOOntem, os moradores do Estância viveram mais um dia de terror. Eles foram impedidos de entrar e de sair livremente do condomínio, após as 5 horas da manhã. A polícia fez o cerco- ninguém sai, ninguém entrar, um horror! Os moradores reclamam da tamanha truculência do Estado que impede o direito constitucional de ir e vir.
“O SATANÁS CHUPANDO MANGA”
Mesmo comemorando o seu aniversário, celebrado nesta quinta-feira 18, a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, não largava o telefone. Em uma ligação feita ao major Péricles, chefe das operações de derrubadas ela recomendava que a energia elétrica fosse cortada e os postes arrancados. Os funcionários da CEB se recusaram a praticar tamanha crueldade. “Essa mulher é o satanás chupando manga”, disse um eletricista da empresa que só desligou alguns trechos.
Diante de tamanha barbárie do Estado, os moradores de várias áreas irregulares do DF optaram pelo protesto em carretas como única forma de chamar a atenção para um problema social que envolve milhares de famílias que, há anos, esperam pela regularização dos parcelamentos e pela segurança jurídica de suas moradias.
Ao final do encontro, um pequeno grupo de moradores decidiu fazer um teste fechando por vinte minutos três das seis faixas do Eixo Monumental em frente ao Palácio do Buriti. O ato produziu um engarrafamento de centena de carros no horário de pico. Foi apenas uma demonstração do que poderá ocorrer na próxima segunda-feira (22). Brasília vai parar!
VISÃO DO RADAR SOBRE O DISCURSO DA MENTIRA
Bruna Pinheiro diz que O Estância Quintas da Alvorada foi construído dentro de uma área de preservação ambiental, o que é uma mentira já que o condomínio está numa área prevista para regularização no PDOT 2009.
A presidente da Agefis mente ao afirmar que o condomínio não está consolidado e que o parcelamento surgiu de uma hora para outra. Como qualquer outro condomínio da Região do Jardim Botânico, o Estância tem licenciamento ambiental desde 1997, requerido pela própria Terracap com todos os projetos aceitos pela Secretaria do Meio Ambiente.
A tramitação do projeto ensejou com a expedição da Licença de Instalação pelo Ibram – Instituto Brasília Ambiental, em 1996. Há mais de nove anos os proprietários dos 1.902 lotes do condomínio pagam rigorosamente o IPTU, a CEB, (Companhia Energética de Brasília) fornece energia elétrica e poços artesianos foram autorizados pela Adasa.
Além disso, o Estância possui um processo de regularização fundiária de 1992. Todos os condomínios da APA do São Bartolomeu que inclui o Condomínio Mini-Chácaras e o Privê Etapa C, alvos das derrubadas, estão contemplados pela lei 9.262/96. O governo tem obrigação de fazer a venda direta e não tem nenhuma legitimidade para derrubar coisa alguma.
Em época de eleição “caras pálidas” passam por lá pedindo votos e prometendo ajuda aos moradores para conseguir a segurança jurídica de suas moradias. O último, foi Rollemberg, atual governador, que pediu até para gravar a promessa feita, que virou uma mentira em vídeo publicado pelo Radar e que viralizou nas redes sociais.
Por tanto, é de má-fé a postura de Bruna ao afirmar que as construções não possuem alvarás, documentos que esse atrapalhado Governo de Brasília se recusa a fornecer aos milhares de cidadãos que precisam construir suas casas, como da mesma forma não fornece alvarás para os geradores de emprego e renda como os empresários do DF.
Conclusão: Bruna mente, Rollemberg também!
Da Redação Radar
A MENTIRA QUE VIRALIZOU NAS REDES DO RADAR PLAY

Fonte: Radar Condominios